DESAFIOS NA CIRURGIA DA COLUNA

Cirurgia da coluna vertebral minimamente invasiva: aprender uma nova técnica

  • Desafio clínico
  • Solução ZEISS
  • Transferências
Desafio clínico

Aprender uma nova técnica e superar a curva de aprendizagem da cirurgia da coluna vertebral minimamente invasiva

Um desafio que os cirurgiões especialistas na coluna vertebral enfrentam é a exigência crescente de segurança, não apenas dos pacientes, mas também dos prestadores de cuidados de saúde e das partes responsáveis pelos pagamentos, como companhias de seguros. O outro desafio é aumentar a eficiência e, sempre que possível, diminuir os custos hospitalares sem o risco de que estes aspetos afetem a segurança dos pacientes. É por estes motivos que os cirurgiões têm de se concentrar em aspetos tais como, como realizar a cirurgia com a mínima perda de sangue e como realizar uma cirurgia da coluna vertebral minimamente invasiva (MISS). Uma incisão mais pequena acarreta um menor risco para os tecidos circundantes1,2 menos hemorragia,1-3 e menos formação de tecido cicatricial.1 Adicionalmente, esta redução no traumatismo dos tecidos origina taxas mais baixas de complicações,1,4 melhores resultados a nível de dor2,4 e menos infeções1, o que se traduz numa recuperação mais rápida e numa alta mais precoce para os pacientes.

Factos clínicos sobre a MISS

Dr. Andreas Korge

Um aspeto importante é que é preciso aceitar a curva de aprendizagem. E temos de aceitar que, se começamos a trabalhar com uma nova tecnologia, vamos ter algumas complicações no início.

Dr. Andreas Korge

Responsável pelo Spine Center and Back Institute, Schoen Clinic Munich, Alemanha

SOLUÇÃO ZEISS

Os sistemas de visualização avançada são um fator-chave para o sucesso da MISS

A cirurgia da coluna vertebral minimamente invasiva tem vantagens para os cirurgiões e os pacientes. Adicionalmente, os tempos inferiores no bloco operatório8 e o custo mais baixo8,9 da MISS implicam que a prática clínica pode ser mais eficiente e económica, permitindo ao hospital ou ao centro de tratamento reduzir a utilização de recursos e aumentar o número de casos cirúrgicos.5 Um fator-chave para o sucesso da MISS é a escolha de sistema de visualização. Os microscópios operatórios como o TIVATO® 700 da ZEISS são sistemas de visualização avançada completos. Estes sistemas sofisticados têm várias vantagens em relação tanto ao endoscópio como às lupas cirúrgicas.

Descubra a nossa demonstração interativa

Utilize a demonstração interativa para saber mais sobre as novas funcionalidades do TIVATO 700 da ZEISS e descobrir como o sistema de visualização avançada o pode ajudar. Mude de uma funcionalidade para outra e arraste a imagem para mover ou posicionar o dispositivo.

Transferências

Vídeos

  • Vantagens da MISS

  • Como começar com a MISS?

  • O futuro da MISS

Mais desafios na cirurgia da coluna

  • 1

    Orndorff DG et al. Minimally invasive approaches for spine surgery. J Spinal Res Foundation 2013;8:49-55

  • 2

    Wang J et al. Comparison of one-level minimally invasive and open transforaminal lumbar interbody fusion in degenerative and isthmic spondylolisthesis grades 1 and 2. Eur Spine J 2010;19:1780-1784

  • 3

    Goldstein CL et al. Comparative effectiveness and economic evaluations of open versus minimally invasive posterior or transforaminal lumbar interbody fusion: A systematic review. Spine 2016;41:S74-S89

  • 4

    Mobbs RJ et al. Minimally invasive surgery compared to open spinal fusion for the treatment of degenerative lumbar spine pathologies. J Clin Neursci 2012;19:829-835

  • 5

    Douglas G. Orndorff, M.D. et al., «Minimally Invasive Approaches For Spine Surgery», Journal Of The Spinal Research Foundation 8, no. 1 (2013): 49–55

  • 6

    Christina L. Goldstein, Frank M. Phillips and Y. Raja Rampersaud, «Comparative Effectiveness And Economic Evaluations Of Open Versus Minimally Invasive Posterior Or Transforaminal Lumbar Interbody Fusion», SPINE 41, no. 8 (2016): S74–S89, doi:10.1097/brs.0000000000001462

  • 7

    Kern Singh et al., «A Perioperative Cost Analysis Comparing Single-Level Minimally Invasive And Open Transforaminal Lumbar Interbody Fusion»,The Spine Journal 14, no. 8 (2014): 1694-1701, doi:10.1016/j.spinee.2013.10.053

  • 8

    Singh K et al. A perioperative cost analysis comparing single-level minimally invasive and open transforaminal lumbar interbody fusion. Spine J 2014;14:1694-1701

  • 9

    Wang MY et al. Acute hospital costs after minimally invasive versus open lumbar interbody fusion: data from a US national database with 6106 patients. J Spinal Disord Tech 2012;25:324-328