DESAFIOS NA CIRURGIA DA COLUNA

Selecionar a visualização certa para a MISS

  • Desafio clínico
  • Solução ZEISS
  • Transferências
Desafio clínico

Métodos de visualização na MISS: microscópio, endoscópio ou lupas?

Os métodos de visualização divergem em termos de qualidade de visualização, ergonomia para o cirurgião e propriedade de documentação digital. Em comparação com um endoscópio, um sistema de visualização avançada fornece ampliação e iluminação avançadas, para que o cirurgião se possa concentrar completamente e tratar a patologia sem afetar os tecidos saudáveis circundantes.¹ O sistema também proporciona uma maior distância focal e uma melhor perceção da profundidade do que um endoscópio¹, e não ocupa espaço na pequena incisão cirúrgica.

Estamos cada vez mais cientes do impacto musculoesquelético das horas passadas a realizar cirurgias. Mais de 60% dos cirurgiões da coluna têm dores lombares e 59% dores cervicais.¹ Estes números são quase três vezes mais elevados do que os da população em geral. Em comparação com as lupas, um sistema de visualização avançada permite que o cirurgião se mantenha na vertical, preservando a postura do pescoço e das costas e reduzindo o esforço.1 Estes sistemas são flexíveis e fáceis de manobrar2. Por sua vez, as lupas não permitem partilhar a vista do cirurgião. Esta é uma enorme vantagem de um sistema de visualização avançada no bloco operatório atual, em que um ecrã de vídeo partilhado permite que qualquer equipa cirúrgica siga a cirurgia e que os estudantes possam observar e aprender.¹
 

Foi assim que o microscópio operatório mudou mesmo a minha prática clínica […]. Penso que tem um valor significativo, não apenas para a adoção da MISS, mas em termos de capacidade técnica da cirurgia e ergonomia. Creio que a questão da fadiga […], a longevidade de um cirurgião da coluna […] melhoraram significativamente. É claramente algo que uso muito.

Dr. Anand Veeravagu

Professor auxiliar de neurocirurgia e cirurgia ortopédica, diretor de cirurgia neurológica da coluna vertebral minimamente invasiva, Stanford University, Stanford, EUA

SOLUÇÃO ZEISS

Sistemas de visualização avançada na MISS da ZEISS

A microcirurgia e a abordagem minimamente invasiva podem ser realizadas com um auxiliar da visão e um sistema ótico que permita ao cirurgião da coluna trabalhar num espaço muito estreito. Para escolher um sistema de visualização podem ser considerados vários fatores como as necessidades, requisitos diários e a especialidade do cirurgião e o posicionamento no bloco operatório.
Ainda existem desafios associados à MISS, por exemplo, a proximidade à medula espinal, a necessidade de trabalhar num canal estreito com um campo de visão pequeno, a utilização de instrumentos longos, a necessidade de estabilidade e os problemas de ergonomia. . Tudo isto continua a ser aplicável se forem utilizadas lupas ou nenhuma ampliação. Mas escolher o equipamento certo ajuda o cirurgião a melhorar os resultados dos pacientes.

Um sistema de visualização avançada completamente integrado tem as seguintes vantagens:

  • Visualização melhorada: ampliação estereoscópica e melhor iluminação2
  • Maior ergonomia: com flexibilidade e capacidade de manobrar os instrumentos para que o cirurgião possa trabalhar numa posição vertical confortável sem esforçar o pescoço ou a região lombar2
  • Documentação digital: para que o cirurgião possa gravar, documentar e analisar

Transferências

Mais desafios na cirurgia da coluna

  • 1

    Wood M. The role of the surgical microscope in modern MISS. Becker’s Spine Review 2016. Disponível em: https://www.beckersspine.com/spine/item/32515-the-role-of-the-surgical-microscope-in-modern-mis-spine-drs-k-d-riew-michael-mayer-roger-haertl-mohd-hisam-muhamad-ariffin-share-their-experiences.html

  • 2

    Damodaran O et al. Microscope in modern spinal surgery: advantages, ergonomics and limitations. ANZ J Surg 2013;83:211–214